Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

TRADUÇÃO

quinta-feira, 30 de junho de 2016

BH tem junho mais chuvoso em 106 anos

https://noticias.terra.com.br/climatempo/bh-tem-junho-mais-chuvoso-em-106-anos,21658735bc873ac0a736bdd9a22c2c654yt4302t.html

Pentágono retira proibição a transgêneros na carreira militar
2

Em Washington

 Ouvir texto

0:00
 Imprimir Comunicar erro

  • Evan Vucci/AP
O secretário da Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter, retirou nesta quinta-feira (30) a proibição que vigorava para pessoas transgêneros entrarem nas Forças Armadas.

"Estamos fazendo o correto para o nosso povo e para as nossas Forças Armadas", indicou o secretário em um comunicado.

"Estamos falando de talentosos americanos que estão servindo com distinção, ou que aspiram a ter a oportunidade de servir. Não podemos permitir a existência de barreiras sem relações com as qualificações e que impeçam contratar e manter aqueles que melhor possam cumprir a missão", ressaltou.

Quando, a partir de 1º de outubro próximo, um médico reconhecer que uma mudança de identidade sexual é "medicamente necessária" para um militar, o Exército dará a essa pessoa "os cuidados e o tratamento adequados para conseguir isso", declarou o Pentágono.

Há um ano, o Departamento da Defesa preparava essa decisão histórica. Carter havia pedido a sua assessoria que estudasse o tema, depois de ter emitido uma opinião favorável.

O secretário repete, com frequência, que pretende abrir ao máximo o leque para captar novos recrutas e atrair os melhores talentos.

Em janeiro deste ano, foram suspensas as últimas barreiras para o acesso de mulheres a postos de combate.

Em 2011, o governo de Barack Obama já havia outorgado aos homossexuais o direito de servir no Exército, abolindo a lei "Don't Ask, don't Tell" ("não pergunte, não conte", em tradução livre) de 1993.

Segundo a Human Rights Campaign, a principal associação de defesa dos direitos das pessoas transgênero, elas chegariam a cerca de 15.000 nas fileiras do Exército, de um efetivo total de 1,3 milhão de militares.
http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2016/06/30/pentagono-retira-proibicao-a-transgeneros-na-carreira-militar.htm

Samarco não cumpre plenamente nenhuma ação ambiental, diz Ibama


PUBLICIDADE
As ações emergenciais e prioritárias que deveriam ter sido tomadas para conter a lama que vazou dabarragem do Fundão, em Mariana (MG), em novembro do ano passado, não foram cumpridas plenamente pela mineradora Samarco, responsável pela estrutura, segundo relatório do Ibama divulgado nesta quarta-feira (29).
Ao todo, de 11 medidas definidas para minimizar o impacto ambiental da tragédia, sete não foram atendidas, e outras quatros foram cumpridas apenas parcialmente pela empresa controlada pela Vale e pela anglo-australiana BHP Billiton.
onda de rejeitos liberada pela ruptura do reservatório causou 19 mortes, devastou a vila de Bento Rodrigues, poluiu o rio Doce e deixou um rastro de destruição até o litoral do Espírito Santo. Quase oito meses após a tragédia, o material continua vazando da estrutura e chegando aos cursos d'água, o que pode se agravar com as chuvas.
Entre as exigências não cumpridas estão as apresentações de como as estruturas de contenção vão se comportar nos próximos meses e de alternativas para evitar nova poluição durante os períodos chuvosos deste e do próximo ano. A Samarco também não entregou projetos e cronogramas para controlar e gerir os rejeitos que já se encontram no leito dos rios atingidos.
"Passados sete meses do desastre, a empresa já deveria ter as ações emergenciais equacionadas dentro de um programa único de controle dos impactos continuados e de mitigação dos efeitos decorrentes", afirma o documento, assinado pela presidente do órgão, Suely Araújo.
O relatório do Ibama diz que a documentação entregue pela mineradora "refere-se a ações isoladas sem que haja qualquer integração entre elas". "Diante da magnitude do desastre, não foi apresentado ainda um planejamento estratégico integrado com cronograma de atuação emergencial para ao trecho entre a área do evento e a usina hidrelétrica Risoleta Neves".
A empresa também não definiu uma área para a disposição de rejeitos e um cronograma para a dragagem da usina, também conhecida como Candonga. "Em análise geral, depreende-se que o evento do rompimento e seus efeitos derivados ainda se encontram em fase de contenção, até o momento não equacionada", afirma o órgão do governo federal.
DIQUES DE CONTENÇÃO
Atualmente, a Samarco tenta controlar a lama com três diques: o primeiro, dentro da área onde houve a tragédia, o segundo, abaixo da barragem de Santarém, e o terceiro, construído pouco antes de Bento Rodrigues. Segundo o Ibama, apenas a terceira estrutura contém, de forma provisória e precária, os rejeitos.
Para o órgão, num "cenário realista", o primeiro dique estaria totalmente assoreado já em novembro deste ano, e as outras duas estruturas teriam mais de 80% de sua capacidade preenchidas até março do próximo ano.
O Ibama diz ainda que a Samarco não apresentou alternativas para a substituição de uma proposta de um quarto dique, depois da área de Bento Rodrigues. A obra havia sido barrada pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), devido à existência de muros arqueológicos na região. Sem uma quarta estrutura, os rejeitos continuarão chegando aos rios, segundo o órgão.
Caso não sejam definidas alternativas, as chuvas também causarão mais poluição, de acordo com o Ibama. "Permanece a possibilidade iminente de já chegar o próximo período chuvoso sem nenhuma capacidade de retenção, com vertimento de rejeitos já em setembro de 2016", afirma trecho do relatório.
As 11 exigências tinham sido aprovadas no início deste mês por um Comitê Interfederativo formado por representantes da União, Estados de Minas e Espírito Santo e cidades afetadas. Elas foram entregues ao diretor presidente da Samarco, Roberto de Carvalho, durante a reunião no Ministério do Meio Ambiente, em Brasília. A empresa tinha dez dias para apresentar respostas.
Diante do não cumprimento das medidas, o Ibama lavrou 11 notificações contra a Samarco. Entre elas, a mineradora deverá executar até 1º de setembro a contenção e o tratamento de todos os rejeitos por meio do terceiro dique, para garantir que os rejeitos parem de vazar. Também precisará apresentar, em cinco dias, um cronograma detalhado e executar a dragagem de sedimentos na área da hidrelétrica.
A Samarco afirmou, em nota, que ainda não recebeu as notificações e que só irá se manifestar quando tomar ciência do conteúdo do documento.
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/06/1787251-samarco-nao-cumpre-plenamente-nenhuma-acao-ambiental-diz-ibama.shtml

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Hawking diz que homens não sobreviverão sem deixar o planeta

https://noticias.terra.com.br/ciencia/espaco/stephen-hawking-diz-que-nao-poderemos-viver-mais-mil-anos-sem-sair-da-terra,4b995e789c9281aae42c63d451abe59actj5usy3.html
Stephen Hawking
Stephen Hawking
Foto: EFE

1. Aposto que você já comeu, mas nunca tinha visto tão de perto: é uma banana! A seguir, mais fotos microscópicas incríveis Reprodução/Lifebuzz
http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/bol-listas/2015/11/09/20-fotos-incriveis-de-objetos-vistos-muito-de-perto.htm?abrefoto=1

Cinco espécies de orquídeas são descobertas nas Filipinas


PUBLICIDADE
Cinco novas espécies de orquídeas foram descobertas em montanhas remotas das Filipinas, onde estavam protegidas de furtos devido a uma rebelião na região, informaram ambientalistas na sexta (24).
As espécies são encontradas apenas em uma cordilheira na região de Mindanao, no sul das Filipinas, devastada por uma rebelião, de modo que não eram conhecidas pelos pesquisadores que catalogam a vida vegetal no país, disse o especialista Miguel David de Leon.
O furto de orquídeas selvagens, principalmente por moradores locais, está fora de controle nas Filipinas. Algumas comunidades costumam colher essas flores sem autorização para exportá-las ou vendê-las nas estradas. Mas Mindanao é uma das regiões do país devastadas por uma das rebeliões mais longas da Ásia, na qual guerrilhas maoístas se mantém em atividade com o apoio das comunidades locais.
Miguel David Leon/AFP
Cinco novas espécies de orquídeas foram descoberta nas Filipinas
Cinco novas espécies de orquídeas foram descoberta nas Filipinas
"O problema da insurgência ajuda a evitar que caçadores de orquídeas entrem nas florestas", disse De Leon, um conservacionista de plantas e animais selvagens que encontrou as espécies enquanto caminhava nas montanhas da província de Bukidnon, em Mindanao.
"Estas áreas são muito isoladas. O terreno é traiçoeiro, acessível apenas a pé e, ocasionalmente, por motocicleta ou cavalo", disse Leon.
As novas espécies, que foram descritas na publicação alemã OrchideenJournal neste ano, incluem uma deslumbrante flor amarela salpicada de manchas marrons.
"É uma das mais atraentes do seu gênero", disse Leon. "As outras espécies são vermelhas ou roxas, mas esta se destaca porque tem o tom mais brilhante de amarelo", completou.
De Leon, o taxonomista australiano Jim Cootes e o pesquisador filipino Mark Arcebal Naive batizaram a espécie mais vívida de Epicrianthesaquinoi, em homenagem ao presidente das Filipinas, Benigno Aquino, cuja família costuma vestir amarelo nos seus comícios políticos.
As espécies descobertas incluem duas do gênero Dendrobium, uma toda branca e uma branca com toques de vermelho, uma Epicrianthes vermelha escura, e uma orquídea Phalaneopsis verde com listras vermelhas.
Cootes, que já escreveu três livros sobre orquídeas filipinas, disse que as descobertas mostraram a rica biodiversidade da nação do sudeste asiático, com mais espécies à espera de serem encontradas.
"Precisamos preservar o que resta, porque as variações dentro das diferentes espécies é tão grande que é quase incalculável", disse Cootes. "As montanhas em todo o arquipélago precisam ser preservadas", acrescentou.
A organização Conservação Internacional, sediada nos Estados Unidos, coloca as Filipinas entre os 35 pontos com maior biodiversidade –as áreas com as vidas animal e vegetal mais ricas do mundo, mas também as mais ameaçadas.
O desmatamento que se alastra pelas montanhas do país também destrói habitats de orquídeas, bem como arbustos, fungos e algas que mantêm as florestas vivas. 
http://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2016/06/1785964-cinco-especies-de-orquideas-sao-descobertas-nas-filipinas.shtml

NASA TV AO VIVO -- NO PROJETO CUE!!!

CHAT -- PROJETO CUE